O GUIA DO

Como proteger meus filhos do coronavírus?

In Educação, Saúde, Vida Social on abril 1, 2020 at 5:27 am

RODRIGO responde: Evite sair de casa. Evite aglomerações – mantenha distância de 2 metros para outras pessoas. Evite levar a mão à boca, nariz, olhos. Lave bem as mãos com água e sabão ou com álcool gel 70%. Cubra o nariz e a boca ao espirrar e tossir. Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados. Não compartilhe objetos pessoais. Se estiver com sintomas, fique isolado de outras pessoas e use máscara caso precise sair de casa, para buscar assistência, por exemplo.

Caso esteja obrigado(a) a sair para trabalhar ou não tenha as condições materiais necessárias, tente seguir as orientações na medida de suas possibilidades.

Caso possa ajudar outras pessoas, com atenção, pequenos serviços, doações ou auxílio em qualquer forma, ajude.

Não compartilhe informações não verificadas e pouco verossímeis. Não espalhe boatos. Não dê apoio a declarações irresponsáveis e sem amparo de dados e estudos científicos.

A melhor forma de proteger seus filhos é proteger a sociedade em que eles vivem.

Meu filho já quebrou três tablets: como evitar mais prejuízo?

In Consumo on fevereiro 17, 2020 at 3:22 am

RODRIGO responde: As capas de borracha ou plástico são boas opções. Esse modelo com duas camadas de espuma e película integrada tem feito sucesso contra quedas, pancadas e infiltração de fluidos. [Nota: não ganhamos comissão.]

Educadores recomendam que se explique ao menino que se trata de um objeto caro; que é preciso cuidar das coisas com responsabilidade; que muitas crianças mal têm comida para comer; e que se deve evitar correr com o tablet na mão, usá-lo de bandeja para o lanche do McDonald’s e enterrá-lo na areia da praia. (Esse método também é recomendado em caso de dificuldade para dormir.)

Ou talvez seja mais fácil tirar o tablet até ele fazer dois anos.

Qual é a hora certa de começar a dar mesada aos filhos?

In finanças, Uncategorized on janeiro 28, 2020 at 8:40 pm

RODRIGO responde: Especialistas em generalidades empreendedorismo e finanças pessoais dizem que os pais nunca devem dar dinheiro às crianças, porque isso seria o equivalente a “dar o peixe em vez de ensinar a pescar”.

Pesquisadores da Max-Planck-Gesellschaft zur Förderung der Wissenschaften tentam agora descobrir por que pagar escola de R$ 5.000 por mês, levar duas vezes ao ano à Disney e oferecer celular e videogame de última geração não são considerados “dar o peixe”. Antes, no entanto, eles esperam localizar a energia escura do Universo.

A verdade é que, para a maioria das famílias, a mesada não é uma grande preocupação, por outra questão física: não é possível dar o que não existe. Trata-se de uma consideração especialmente importante com os juros do rotativo do cartão acima de 300% ao ano.

Para quem tem alguma sobra no orçamento, o conselho é começar a mesada quando a criança dominar as operações aritméticas básicas, com números até R$ 10. Ela vai entender o recado.