O GUIA DO

Archive for the ‘Alimentação’ Category

Comer pizza e não dar nada ao filho: é muito cruel?

In Alimentação, Psicologia on abril 5, 2016 at 1:07 am

RODRIGO responde: A pizza tem excesso de sódio – que seu filho deve conhecer pelo estranho nome de sal – e gordura saturada. É inegável, portanto, que não ceder à tentação de dividir o acepipe com o menino configura um belo gesto de amor. (E o amor é imenso a depender do sabor da pizza.)

Ainda assim, seu filho pode ficar chateado em não poder dar uma bicadinha, o que exige um pouco de psicologia. Uma opção que costuma funcionar é contar que você sempre comeu pizza e acabou ficando do jeito que é. Ele é esperto, vai entender.

Posso criar meu filho como vegetariano?

In Alimentação on novembro 22, 2014 at 2:03 am

RODRIGO responde:O tema é polêmico. A ausência de proteína animal na dieta pode levar a uma carência de ferro, cálcio e vitamina B12. Outros alimentos suprem os dois primeiros tranquilamente, mas a B12 só com suplemento mesmo. De qualquer modo, equilibrando o resto da alimentação, a criança pode se desenvolver normalmente. Ou não: há nutricionistas que consideram a carne indispensável. A coisa fica mais complicada se a intenção for criá-lo como vegano – o que exclui do cardápio, além da costela assada na vala e do rack de carneiro, aquela deliciosa gemada do cardápio. A parte mais complicada mesmo, porém, é para os pais, que precisam dar o exemplo. E passar a infância inteira do garoto comendo coxinha escondido na área de serviço é meio esquisito.

Dar Tang, Clight ou Mid a crianças é tão ruim assim?

In Alimentação on maio 26, 2014 at 1:24 am

RODRIGO responde: Esse é o tipo de pergunta que você mesma pode responder. Entre os ingredientes desses “refrescos” há fosfalto tricálcico, citrato de sódio, ciclamato de sódio, acesulfame (?) de potássio, sacarina sódica, dióxido de titânio (!), tartrazina e carboximetilcelulose. Não saco nada de química (nem física, literatura ou gramática), mas dar dióxido de titânio a uma criança de dois anos não me parece muito recomendável (leia sobre pirofosfato ácido de sódio aqui). A boa notícia é que nenhum deles contém glúten.

Meu filho de um ano come 350 gramas por refeição. É muito?

In Alimentação on outubro 17, 2013 at 8:23 pm

RODRIGO responde: Supondo que seu filho tenha 9 kg, isso significa que ele come cerca de 40 gramas para cada quilo, o que, projetado para um adulto de 70 kg, daria um pratinho light de 2,72 kg. Então, a resposta à sua pergunta, obviamente, é… não!

Calma nessa hora. Os bebês comem muito, mas também crescem muito. Uma criança que nasce com pouco mais de 3 kg dobra de peso até os seis meses e triplica até o primeiro aniversário. Além disso, ao contrário de você, seu filho não passa o tempo todo estressado e sentado na frente do computador. Ele engatinha (ou anda) para lá e para cá, brinca, mama; ou seja, é feliz e ativo. As calorias e nutrientes, portanto, são muito bem-vindos.

Ingerir álcool prejudica a amamentação?

In Alimentação on agosto 31, 2013 at 8:43 pm

RODRIGO responde: Os especialistas divergem quanto à gravidade de se amamentar depois de ingerir álcool. Uma parte recomenda a abstinência total, enquanto outra vê exagero nessa medida. O problema é que há poucos consensos quando se trata desse assunto. Quanto tempo leva para a mãe eliminar o álcool do organismo? A transmissão de uma pequena quantidade de álcool faz mal à criança? O álcool pode afetar a produção de leite? Uísque paraguaio é mais prejudicial do que um escocês legítimo?

Ninguém sabe a resposta exata.

O certo é que o excesso de álcool pode causar sonolência, fraqueza e ganho anormal de peso (na criança também) e ninguém quer correr riscos, não é mesmo?

Por isso, as mamães mais ciosas só têm uma opção: beber logo depois de dar de mamar. O grande perigo, nesse caso, é que, enquanto a mulher metaboliza o álcool, o marido é quem vai cuidar da criança.

Papinha industrializada faz mal?

In Alimentação on maio 5, 2013 at 2:32 am

RODRIGO responde: A típica papinha industrializada contém frutas (ou legumes) amassados ou em pedaços, farinha de arroz ou de aveia, água, suco e vitamina. Quase ninguém acredita, mas o produto não leva conservantes, estabilizantes, aromatizantes, acidulantes, corantes, espessantes, adoçantes ou mesmo desinfetantes.

É claro que o milagre, conseguido à base de processos de esterilização a alta temperatura e embalagem a vácuo, tem seu preço. Como a textura é sempre a mesma e as misturas são limitadas, a papinha não ajuda o bebê a desenvolver o paladar, nem estimula a mastigação. Nada disso, porém, permite dizer que esse tipo de comida faça mal.

Na verdade, a R$ 4 um potinho de 120 gramas, o que daria para comprar pelo menos um quilo de praticamente qualquer fruta, pode-se dizer que a papinha faz muito bem. Para alguém.

Quando posso começar a dar biscoitos industrializados ao meu filho?

In Alimentação on abril 9, 2013 at 4:32 am

RODRIGO responde: Confira os ingredientes de um dos biscoitos recheados mais populares do mercado: farinha de trigo enriquecida com ferro e ácido fólico, açúcar, gordura vegetal, cacau em pó, açúcar invertido, amido, sal, corantes caramelo e natural carmim cochonila, fermentos químicos bicarbonato de sódio, bicarbonato de amônio e pirofosfato ácido de sódio, emulsificante lecitina de soja e aromatizante. Leu bem? Então vamos reformular a pergunta. Quando posso começar a dar pirofosfato ácido de sódio ao meu filho? Nunca seria um bom primeiro passo.

Quando devo iniciar a alimentação do bebê?

In Alimentação on novembro 27, 2012 at 2:15 am

RODRIGO responde: O lugar comum diz que os pais devem começar a dar papinha de fruta – maçã ou banana – por volta dos seis meses. Estudos mais recentes, no entanto, indicam que, não importa exatamente o quê, se goiaba, batata, Mucilon ou leite materno, o mais seguro mesmo é iniciar a alimentação assim que o bebê nasce.

O uso do microondas pode prejudicar a saúde do bebê?

In Alimentação on maio 11, 2012 at 3:17 pm

RODRIGO responde: Os especialistas divergem a respeito desse assunto. A maioria, no entanto, concorda que em condições normais o microondas não chega a causar danos graves à saúde da criança, pois as ondas curtas são consideradas inócuas. O que se sabe é que, até os três anos, na função grill, a pele do bebê não fica perfeitamente dourada.