O GUIA DO

Archive for the ‘Vida Social’ Category

Por que alguns pais e mães são contra festa junina na escola?

In Vida Social on junho 19, 2017 at 2:26 pm

RODRIGO responde: O principal argumento contrário às festas juninas é que elas reforçariam imagens estereotipadas do homem do campo. Roupas remendadas, falta de dentes, forma “errada” de falar são características – todas negativas – tipicamente esperadas do caipira.

A questão central no debate é avaliar como uma criança absorve essas mensagens subliminares. Seria exagero achar que ela pode internalizar visões preconceituosas, machismo ou mesmo uma ideia de superioridade vida urbana?

Às vezes supomos que um menino de 5 anos não consegue separar bem realidade e fantasia. Quando vemos o que ocorre nas festas juninas adultas, com moças indefesas tendo seu destino decidido por homens irresponsáveis e autoritários, o que dizer?

É claro: anarriê!

Quanto é razoável gastar numa festa de criança?

In Vida Social on setembro 19, 2016 at 1:38 am

RODRIGO responde: Qualquer avaliação depende, em primeiro lugar, de contexto. Não é incomum gastar mais de R$ 10 mil numa festa, incluindo aí convites, seleção de salgados e doces, empratados, decoração, assessoria de imprensa, bebidas, cadeiras e mesas, cama elástica, tobogã, piscina olímpica, lembrancinhas, garçons, gerente de estoque, animadores, fotógrafo, diretor de arte, bolo de mentira, bolo de verdade e especialista em redes sociais. Para uma família com renda mensal de, digamos, cinco salários mínimos (R$ 4.400), o gasto é maior que a renda bruta de dois meses inteiros de trabalho! Em outras palavras, uma loucura. Já para uma família com renda de trinta salários mínimos (R$ 26.400) é só ridículo mesmo.

Há problema em deixar meu filho de 3 anos dormir na casa de amigos?

In Vida Social on julho 31, 2016 at 5:54 am

RODRIGO responde: Os pais geralmente acreditam que são as pessoas mais preparadas do mundo universo para manter os filhos protegidos – mesmo com um atropelamento, três choques, duas intoxicações alimentares e uma micose no currículo.

A verdade, porém, é que seus amigos são perfeitamente capazes de receber a visita. Dar banho, nuggets, Coca-Cola e brigadeiro, além de deixar a furadeira e o maço de cigarros fora de alcance, não muda muito com mais um ou menos um. Vale o velho ditado romano: quem cuida de um cuida de mil.

Mas, sim, há um problema gravíssimo em mandar o Júnior para a casa dos seus amigos: um dia eles vão querer ir à forra.

Meu bebê pode ter partido político?

In Vida Social on março 17, 2015 at 2:19 am

RODRIGO responde: Formalmente, não. De acordo com a Lei 9.096/1995, para se filiar a um partido, é preciso estar no pleno gozo dos direitos políticos – o que parece improvável no caso de um bebê.

Isso não impede, porém, a criança de simpatizar com essa ou aquela agremiação. Ela gosta mais de vermelho ou azul? Prefere maior ou menor intervenção do estado? Quer sempre estar no governo? São perguntas essenciais para definir seu perfil político-partidário. Mas, em geral, os bebês seguem os partidos dos pais. Afinal, quem financia, acaba sempre mandando.

Como escolher o nome do bebê?

In Vida Social on janeiro 18, 2015 at 3:56 am

RODRIGO responde: A primeira coisa a se ter em mente é que quem vai carregar a alcunha para o resto da vida, ou pelo menos até a autorização judicial para mudá-lo, é o bebê. Trocando em miúdos: pode ser que seu filho não curta muito se apresentar como Maximus Decimus Meridius (comandante dos Exércitos do Norte, general das Legiões Felix) ou que sua pequena Ishthephaniy tenha problemas em soletrar o próprio nome.

Muitos pais gostam de fazer homenagens a pessoas queridas. Não há nada de errado nisso. Mas é bom ter um plano B para o caso de seu melhor amigo se chamar Idi Amin ou seu obstetra atender por Leopoldo II.

Nomes populares demais podem levar a problemas práticos. Imagine a crise de identidade para seu amado Davi e seus sete xarás da creche? Uma forma de remediar isso é combinar nomes. Ana Maria Sophia é lindo.

Uma boa estratégia é escolher a partir do significado. Se vocês são um casal de apicultores esperando um casal de gêmeos, por exemplo, não tem erro: Fábio e Débora são os nomes.

Devo fazer um perfil no Facebook para meu filho de três anos?

In Vida Social on outubro 31, 2014 at 2:31 am

RODRIGO responde: A primeira questão não é saber se deve, mas se pode. Isso mesmo: o Facebook é restrito a usuários de no mínimo 13 anos. Superada a etapa de adicionar dez anos à idade do moleque, é inegável que a rede social oferece vários atrativos para uma criança de três anos, como jogos viciantes, contato com todo tipo de gente perturbada e exposição a vídeos e memes completamente inúteis. Pensando bem, tente oferecer uma atividade mais saudável e segura ao menino. O meu gosta de acender a churrasqueira.

Em uma festa de crianças, vi um boneco de neve gigante dançar “O show das poderosas” com uma princesa. Bebi demais?

In Vida Social on setembro 27, 2014 at 1:12 pm

RICARDO responde: O quanto você bebeu, eu não sei. Mas você não estava delirando. O boneco e a princesa (Ana, Elsa ou outra) fazem parte da última superprodução Disney para criancinhas.

Como as crianças parecem gostar das personagens, surgiu todo um mercado de trabalho para princesas de festa – que vão caracterizadas com vestidões e tiaras.

Resumindo: hoje você pode contratar uma princesa – e um boneco de neve gigante – para animar a festa de sua filha de três anos.

Se tocarem O show das poderosas, você poderá recriar essa cena peculiar (e digna de um Salvador Dali).

Como fazer um chá de fralda inesquecível?

In Vida Social on setembro 13, 2014 at 2:12 pm

RODRIGO responde: Os chás de fralda, assim como os aniversários, os batizados e os churrascos de fim de semana, passam por uma verdadeira revolução, com uma infinidade de conceitos criativos ou simplesmente luxuosos para deixar os convidados estupefatos. A coisa avançou tanto que as festas de antigamente – um salão apertado com uns docinhos e meia dúzia de balões – voltaram como versão alternativa e despojada. Mas ainda há boas receitas para um chá de fralda inesquecível.

4 xícaras de água
3 fraldas M bem picadas (ou duas XG)
açúcar ou adoçante a gosto

Coloque a água numa chaleira, leve ao fogo alto e, quando ferver, adicione as fraldas picadas. Retire do fogo, adoce a gosto e sirva imediatamente.

(Evite usar fraldas recheadas.)

Como evitar que meu filho fique pegando os brinquedos dos outros no play?

In Vida Social on fevereiro 10, 2014 at 1:41 pm

RODRIGO responde: A primeira providência é arrumar uns brinquedos para seu filho: os outros pais adoram dizer que “não tem problema, é para dividir mesmo”, mas, no fundo, é só por educação.

Agora, se seu filho leva os próprios brinquedos e mesmo assim quer os dos outros, o problema é bem mais grave. Freud já dizia: “A grama do vizinho é sempre mais verde.” Como resolver? Dê um brinquedo que possa parecer mais verde às outras crianças. Por exemplo, o banco com sistema de segurança, que inclui caixa eletrônica, cofre e câmeras de segurança. [Nota: não ganhamos comissão.]

Só tome cuidado para, na brincadeira, ele não acabar atacado por meninos justiceiros filhos de cidadãos de bem.

Meu filho levou uma mordida de um coleguinha na creche. O que fazer?

In Vida Social on julho 19, 2013 at 9:46 pm

RODRIGO responde: A providência imediata é levá-lo ao posto de saúde para tomar uma anti-rábica. Depois é preciso procurar a diretora da creche e pedir a identificação do agressor – um retrato-falado pode ser necessário. Entre em contato com os pais do pequeno canibal e marque uma reunião com todos os envolvidos: pais, coordenadores, cuidadores, psicólogos, as próprias crianças e, principalmente, a nutricionista. A carne, afinal, é fonte importante de proteína, ferro e vitaminas do complexo B. E, por mais que na hora dê raiva, ninguém quer os amiguinhos do filho subnutridos.