O GUIA DO

Archive for the ‘Psicologia’ Category

Como devo reagir quando meu filho finge que não me ouve?

In Psicologia on agosto 28, 2017 at 10:03 pm

RODRIGO responde: Equilíbrio é a palavra-chave. Você não pode nem perder a paciência, nem ser permissivo demais. É o exercício da autoridade que cria na criança o vínculo de confiança e o extremo cagaço necessários ao seu melhor desenvolvimento. Uma pesquisa da Universidade de Tekavatoetoe com 300 pessoas, ou seja, toda a população local, concluiu que o número máximo de vezes que os pais devem repetir um comando é 3,8. Assim, como você mandou o menino desligar o tablet oito vezes e ele não obedeceu, na próxima oportunidade pode partir direto para a gritaria.

Ah, não se preocupe com a audição do garoto. Se ele não obedece, é porque está ouvindo muito bem.

Gritei com meu filho ontem e estou me sentindo mal. O que faço?

In Educação, Psicologia on junho 23, 2017 at 1:26 pm

RODRIGO responde: A primeira providência, urgentíssima, é comprar um decibelímetro. Diversos estudos indicam que gritar pode ser tão nocivo na relação com os filhos quanto bater. Mas nenhum cientista teve a preocupação básica de definir antes o que, exatamente, é gritar. Uma boa referência é o volume de uma conversa normal: 60 dB. Se passar mais de 150% disso, você pode estar exagerando.

O fato é que, se você ama seu filho (e se não ama também), no fundo sabe que gritar, além de não ter nenhum efeito pedagógico positivo, causa confusão, insegurança e trauma. Na criança também. Portanto, seja racional e se controle. Uma vez ou outra, num dia de estresse extremo, vai lá. Agora, se estiver acontecendo mais que isso, o conselho é um só: PARA! PARA COM ESSA PORRA AGORA!

Meninas pequenas podem usar maquiagem?

In Desenvolvimento, Psicologia on junho 2, 2017 at 2:25 pm

RODRIGO responde: Existe uma reação exagerada ao uso de maquiagem por meninas (e meninos). A principal tese é a de que a maquiagem, assim como penteados, roupas “adultas” e novelas das seis da Globo, levam a uma sexualização precoce das crianças. A França chegou a proibir concursos de beleza para meninas menores de 16 anos. Então o que fazer? Fique de olho (afinal, o seguro morreu de velho, ou algum outro lugar-comum do gênero) e evite aquilo que é realmente inadequado. R$ 189,90 por uma base?! Isso, sem dúvida, é obsceno.

A criança pode dormir na cama do casal?

In Psicologia on abril 25, 2016 at 5:05 am

RODRIGO responde: Os pais geralmente têm duas opções quando o assunto é a hora de dormir. A primeira é preparar pacientemente as condições para a criança dormir sozinha. Isso envolve criar hábitos, como estabelecer horários, ajustar o ambiente em relação a ruídos e luminosidade, ler dezenas de livros, resistir a choros e reclamações…

A segunda é liberar geral: feijoada completa no jantar, videogame até as dez da noite e refastelar-se no sofá, no chão da varanda e até na almofada do gato. Nesse caso, preocupação psicológica à parte, é totalmente normal a criança ficar na cama do casal. O difícil vai ser você conseguir um espacinho quando o Milk aparecer para dormir no canto dele.

Comer pizza e não dar nada ao filho: é muito cruel?

In Alimentação, Psicologia on abril 5, 2016 at 1:07 am

RODRIGO responde: A pizza tem excesso de sódio – que seu filho deve conhecer pelo estranho nome de sal – e gordura saturada. É inegável, portanto, que não ceder à tentação de dividir o acepipe com o menino configura um belo gesto de amor. (E o amor é imenso a depender do sabor da pizza.)

Ainda assim, seu filho pode ficar chateado em não poder dar uma bicadinha, o que exige um pouco de psicologia. Uma opção que costuma funcionar é contar que você sempre comeu pizza e acabou ficando do jeito que é. Ele é esperto, vai entender.

É grave perder a paciência com meu filho de três anos?

In Psicologia on julho 31, 2015 at 3:20 am

RODRIGO responde: Vamos manter as coisas em perspectiva: grave é a situação da economia, a mudança climática, o nível dos comentários no Facebook. Se seu filho bate na sua cara, repete algo 3.129.275 vezes ou desmonta seu quebra-cabeça de 5 mil peças, é natural que você fique um pouco exaltado. Respire fundo, conte até dez e, se sua mulher ouviu os palavrões e os gritos, pense rápido numa desculpa. Porque grave mesmo é ela perder a paciência com você…

Meu filho me deu um tapa na cara. O que fazer?

In Psicologia on janeiro 9, 2015 at 12:26 am

RODRIGO responde: Esse é um dos momentos mais difíceis da paternidade. O mais importante é saber que ninguém é de ferro. Entenda que algumas reações são naturais.

Dito isso, você pode sentar o… menino no sofá para conversar. Depois é baixar o… volume do som para se ouvirem melhor. Então é hora de meter o… dedo no interruptor da luz para se verem bem. Finalmente, com o ambiente adequado, sinta-se livre para enchê-lo de… beijos e abraços.

Estão falando de Criação com Apego. O que é isso?

In Psicologia on dezembro 19, 2014 at 2:53 am

RODRIGO responde: A Criação com Apego denomina um conjunto de práticas voltadas a garantir o estabelecimento de vínculos emocionais fortes e saudáveis entre pais e filhos. Não, não tem nada a ver com dar um iPhone 6 Plus ao seu garoto de três anos. Os princípios recomendados são os seguintes: se preparar para a gravidez, o nascimento e a p(m)aternidade; alimentar com amor e respeito; responder com sensibilidade; prover contato acolhedor; garantir sono seguro (física e emocionalmente); prover cuidado permanente e afetuoso; praticar disciplina positiva; buscar equilíbrio na vida pessoal e familiar.

Portanto, se você começou a comprar livros depois do pacotinho entregue; se atocha coxinha e risole no garoto; se responde aos berros (mesmo abafados); se evita encostar na bebê; se bota para dormir vendo TV; se mal encontra a cria; se elaborou uma cartilha com hábitos proibidos; se é alcoólatra e compulsivo… os seus pais provavelmente deveriam ter lido sobre a Criação com Apego.

Meu filho não desgruda de mim. O que fazer?

In Psicologia on outubro 9, 2014 at 1:42 pm

RODRIGO responde: Existem dezenas de métodos mais ou menos científicos para resolver esse problema. Se tiver uma banheira grande, despeje água quente, até a metade, e mergulhe com seu filho – em cerca de cinco minutos deve fazer efeito. Técnicas mais diretas envolvem aplicação de produtos como acetona, removedor de esmalte ou WD-40. A cirurgia é indicada apenas em casos extremos. Se for paciente, aguarde a adolescência, quando ele deve desgrudar naturalmente. De todo modo, ao persistirem os sintomas, procure orientação médica.

Como saber se sou uma mãe superprotetora?

In Psicologia on setembro 26, 2014 at 4:55 am

RODRIGO responde: Se o menino não pode comer fora de casa ou andar descalço na rua, se ele nunca saiu na chuva ou ralou o joelho, há grandes chances de você ser mesmo uma mãe superprotetora. Nesse caso, é preciso lembrar que a exposição ao risco e, como consequência, a um ou outro problema no caminho faz parte do aprendizado, necessário para que o garoto adquira segurança e aprenda a lidar com adversidades. Mas também não fique muito preocupada: ano que vem ele vai para a faculdade e vai acabar saindo de baixo da sua saia.